Práticas de Educação a Distância e eLearning na Web Social: Indicadores de Sucesso no Ensino Superior

SINOPSE. Os avanços das tecnologias de informação e da comunicação, e em particular da Internet, têm estimulado de forma decisiva a aprendizagem, para além das estruturas educativas formais. Com a Web 2.0 e o elearning 2.0, a ênfase tem sido colocada na aprendizagem em rede e nas potencialidades do designado software social para acesso à informação e ao conhecimento, bem como na capacidade para trabalhar e aprender com os outros numa colaboração global criativa fora das estruturas educacionais, exigindo uma nova ecologia da aprendizagem. Ecologia esta marcada, por um lado, pelo desejo de ligar os mundos da aprendizagem formal e informal, e por outro lado, pelo domínio crescente de formas de software social e os novos paradigmas da rede.

Neste contexto de networking social com novas estruturas e novos ambientes as possibilidades de aprendizagem têm-se incrementado e diversificado exponencialmente, surgindo novos e estimulantes desafios para os sistemas educativos e para os seus profissionais.

Atualmente, os profissionais da educação discutem muito a utilização das tecnologias da Web 2.0 e os serviços de software social (blogs, wikis, mundos virtuais, social bookmarking,…) em contexto educativo, no entanto a utilização das redes sociais nestes contextos ainda encontra bastantes resistências, talvez por ser uma tecnologia recente e ainda incompreendida como ambiente de aprendizagem. Não obstante, não podemos escamotear o facto das redes sociais serem o habitat das gerações que, atualmente, recebemos nas nossas escolas. E por isso, incorporar as redes sociais na escola parece-nos um passo inevitável para mantermos a proximidade com os nossos estudantes.

Recentemente têm surgido muitos trabalhos que procuram identificar e explorar o potencial educativo de redes sociais, como o MySpace, Orkut, Ning, e sobretudo o Facebook, que referem, por exemplo, que esta rede pode potenciar a comunicação e a partilha de informação e conhecimento, e pode permitir o desenvolvimento de capacidades e estratégias de ensino/aprendizagem mais dinâmicas e interativas, abertas e criativas, possibilitando uma maior participação dos intervenientes, um melhor aproveitamento dos recursos e mais mobilidade de informação e conhecimento.

Em síntese este projeto pretende perspetivar possíveis cenários e designs de aprendizagem na web social, analisando o impacto desses cenários nas perceções de competência dos estudantes do Ensino Superior, nomeadamente, no que diz respeito à autonomia, responsabilidade, autodireção e autorregulação, confiança nas próprias competências, capacidade de resolução de problemas, problematização e motivação para aprender.

(Start date: october 2015; UMCLA/ELO/DRPorto/UAb)