Universidade Aberta apresenta campus digital para as prisões

cropped-EDU_PRIS_seminario_V4_aÉ um projeto pioneiro em Portugal, na primeira fase em que se encontra vai abranger apenas 25 reclusos, mas promete ser o primeiro grande passo para criar nos estabelecimentos prisionais condições de verdadeiro e sistematizado acesso da população reclusa ao ensino superior.

A apresentação será amanhã, dia 6, na Delegação Regional do Porto da Universidade Aberta (UAb) no decurso do I Seminário Internacional “Educação e eLearning em Estabelecimentos Prisionais em Portugal”, uma iniciativa que surge como corolário do trabalho que a UAb tem desenvolvido nesta área.

Esse trabalho, de forma mais sistematizada, teve início em 2016 com a assinatura do protocolo com a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, que formalizou a colaboração institucional que tem permitido à UAb encontrar respostas mais eficazes para que os cidadãos em reclusão possam aceder ao ensino superior.

O seminário internacional, que tem lugar na renovada Delegação Regional do Porto da UAb, vai permitir unir o trabalho prático que está em curso com a investigação académica. É nesse âmbito que teremos no nosso País alguns dos principais protagonistas europeus nesta área com experiência com estudantes reclusos.

Falamos de Anne Pike, consultora internacional ligada à britânica Open University, de António Viedma Rojas, da espanhola Universidad Nacional de Educación a Distancia (UNED) e de Luis Alcoforado, da Universidade de Coimbra.

Por parte da Universidade Aberta, a somar às intervenções institucionais da equipa reitoral, teremos António Moreira, docente e diretor da Delegação Regional do Porto e coordenador do Projeto “EaD e eLearning em Estabelecimentos Prisionais em Portugal”. Estará a seu cargo a apresentação do Campus Digital EducOnline@Pris, projeto desenvolvido em parceria entre a UAb e a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, que promove a educação e a formação nos estabelecimentos prisionais em Portugal.

“Com este projeto não estamos a derrubar paredes e grades, mas estamos a procurar torná-las mais fluídas, porque o digital tem a capacidade de passar pelas paredes e estruturas mais pesadas e subidas que possam existir”, resume António Moreira.

Do programa do Seminário consta ainda a apresentação da Associação Portuguesa de Educação nas Prisões (APEnP).

Este Seminário é uma organização conjunta da Unidade de Desenvolvimento dos Centros Locais de Aprendizagem da Universidade Aberta (UMCLA) e do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) da Universidade de Coimbra.